O impacto logístico, operacional ou econômico da COVID-19 em empresas varejistas ou atacadistas

Ainda é difícil prever os efeitos da Covid-19. Não temos referências para essa crise, que é/foi diferente das crises econômicas recentes ou de qualquer outra pandemia já ocorrida.

Diversas projeções sobre o impacto econômico mundial, feitas com base nesses históricos, já se mostraram equivocadas. Vivemos uma crise sanitária com consequências significativas nas relações socioeconômicas.

A única certeza é que as ações e os direcionamentos de todos os agentes econômicos (investidores, empresas, empregados, consumidores e setor público) foram diretamente relacionados aos resultados das ações governamentais de combate à Covid-19 em todo o mundo.

Coronavírus na logística: quais os impactos?

O foco global na COVID-19 mudou as prioridades para todas as empresas e indivíduos globalmente.

Embora o impacto e a reação ao coronavírus na logística e no atacado distribuidor se espalharam pelo mundo, algumas organizações puderam prever os problemas em seus negócios usando um conjunto combinado de ferramentas.

A natureza global da economia exige que todas as organizações distribuidoras entendam suas cadeias de suprimentos diretas.

Foi importante, também, que compreendessem os riscos inerentes aos quais elas estiveram expostas nos níveis de fornecedores e clientes secundários ou terciários.

Por exemplo: as empresas que dependiam da demanda externa de seus produtos também contavam com fabricantes estrangeiros, que forneciam os bens e serviços necessários para realizar negócios.

Estar ciente desses riscos ajudou na formulação de estratégias corporativas e planejamento de negócios. Quando o vírus começou a se espalhar na China, a produção de aço permaneceu alta na região.

No entanto, como a economia global e a demanda diminuíram no ápice da pandemia, os estoques de aço do país atingiram níveis recordes.

A falta de demanda resultou em uma queda significativa nas exportações de aço da China. Este é apenas um pequeno pedaço do quebra-cabeça da cadeia de suprimentos e dos conjuntos de dados que podem ser analisados.

No centro de qualquer logística estão os custos do transporte das mercadorias. O petróleo esteve sempre nas manchetes, mas uma análise mais aprofundada explica o porquê do preço da gasolina ter sido afetado.

Como o coronavírus continua impactando não apenas o aço, mas todas as commodities, produção de peças e logística de entrega, apesar da vacinação em massa, as empresas precisam girar e fazer ajustes em suas próprias estratégias de negócios.

Estar ciente dos riscos para sua logística continua sendo fundamental para todas as empresas do atacado distribuidor.

Qualquer interrupção no fornecimento ou na demanda exigiria uma mudança na estratégia, volume ou procedimentos da empresa. Ser capaz de identificar riscos potenciais obviamente ajuda a se preparar para mudanças repentinas.

A análise de dados é usada não apenas para entender exposições a riscos diretos, mas também aqueles possivelmente encontrados nos fornecedores e clientes.

As indústrias e a economia em geral estão em um novo território, encontrando-se mais vulneráveis ​​aos riscos da globalização e à ruptura da cadeia de suprimentos.

Portanto, o uso correto de conjuntos de dados e ferramentas tecnológicas passou a ser crucial para o atacado distribuidor continuar tomando decisões estratégicas.

A importância do planejamento logístico durante o coronavírus

Como falamos no início, o impacto do coronavírus foi diferente para os diversos setores. Isso significa que os obstáculos logísticos são distintos dependendo do setor de atuação do atacado distribuidor.

Enquanto no agronegócio e no setor de alimentos houve um crescimento durante a quarentena e o isolamento social, os setores ligados a bens considerados não essenciais sofreram mais os efeitos causados pela pandemia.

Independentemente da área de atuação, o planejamento e a gestão eficaz são essenciais para garantir que você consiga suprir o aumento da demanda ou não seja tão afetado caso venha a ocorrer outro momento mais crítico.

O fato é: nenhuma empresa estava esperando uma crise dessa magnitude, mas a pandemia do Novo Coronavírus atingiu a todos os negócios de uma vez.

Isso significa que uma empresa que pôde lidar com seus problemas melhor do que seus concorrentes conseguiu sobreviver e, talvez, até tenha se tornado mais forte.

Aquelas com a melhor visibilidade logística tiveram a melhor visão para o futuro e, mesmo que enfraquecidas, provavelmente vão se recupear mais rapidamente.

Independentemente da maturidade digital da sua logística, o atacado distribuidor deve considerar quais tecnologias o ajudarão a enfrentar essa crise, que ainda não foi totalmente vencida.

Terceirização do inventário

Hoje, no mercado Brasileiro, existem diversas empresas que realizam inventários terceirizados. Portanto, vale o alerta: tenha cuidado para não entregar seu principal patrimônio (o estoque) nas mãos de amadores.

Antes de escolher a empresa que vai realizar seu inventário de estoque, pesquise seus clientes, o tempo de mercado, as certificações, e se atende outras lojas no seu segmento.

O inventário é uma ferramenta indispensável para controle e gestão de estoque. As informações geradas após esse processo são fundamentais nas tomadas de decisões, bem como na identificação de erros operacionais e dos indesejáveis furtos internos e externos.

Se o controle de estoque da sua empresa é um assunto que te preocupa, você pode contar com a Terceirease Inventário de estoque. Além de pioneiros na Região Norte, somos a única empresa no Brasil com o certificado ISO 9001/2015.

Nossa equipe vai auxiliar você na gestão completa de seus produtos. Possuímos uma equipe capacitada, com mais de 16 anos de mercado, para atender melhor você e a sua empresa. Entre em contato com a gente.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Leia também